D&D Next Playtest – Primeiras Impressões

A Wizards liberou o primeiro playtest da próxima edição do nosso querido Dungeons & Dragons, chamado provisoriamente de D&D Next. Como todo bom early adopter, já baixei e joguei duas sessões para sentir o sistema e ver as mudança, Deixo aqui minhas primeiras impressões e opiniões.

Regras Básicas

O sistema continua com a base que  todos estão cansados de saber: seis atributos principais, classe de armadura, pontos de vida, bônus de ataque. O que muda foi a adição de algumas novas regras.

Quais serão as estatísticas desse dragão?

Vantagem e desvantagem. Elas funcionam de uma forma bem simples e que pode ser empregada em qualquer situação, é a famosa diretriz do bônus de +2 e penalidade de -2, agora posta soba a forma de regra. Funciona da seguinte maneira, toda vez que você tiver algum tipo de vantagem para realizar uma ação, você irá fazer dois testes, e utilizará apenas o maior. E se tiver desvantagem usará o menor.

Realmente a grande mudança do D&D, simplificou as variações de bônus e penalidades, antes você tinha uma penalidade de -5 se estivesse cego, caído -2, escalando -1, por simplesmente desvantagem. Você joga 2d20 com seus bônus normais e utiliza o maior valor se tiver vantagem, e o menor se tiver desvantagem.

As perícias agora estão embutidas em testes de habilidades, se você quiser realizar alguma ação que dependa de força, como arrombar uma porta, segurar um companheiro em um penhasco, escalar uma parede íngreme, você fará um teste de força. E assim por diante.

Agora você volta a ter apenas um valor de defesa: a classe de armadura. Os antigos testes de resistência voltaram, mas agora embutidos nos testes de habilidades, como as perícias descritas acima.

Gostei muito das perícias e resistências serem baseadas em testes de habilidades, pois será muito mais rápida a criação de personagens e dará um foco maior nas descrições das ações. Ao invés de apenas dizer, vou fazer um teste de diplomacia, você terá que dizer o que irá fazer, então o mestre pode pedir um teste, dar vantagm ou mesmo ignorar o teste e se basear apenas na ação do personagem.

Não existem mais pontos de ação, pulsos de cura, poderes (sem limite, encontro, diário). O deslocamento volta a ser medido em distância e não quadrados, pode-se jogar sem o uso de miniaturas e grid de combate, voltaram os tipo de dano cortante, perfurante e contundente.

Raças e Classes

As raças têm algumas habilidades exclusivas retiradas das edições antigas do D&D, por exemplo: anões são imunes a veneno e elfos têm vantagem para observar, ouvir ou encontrar algo.

Um papel bem pequeno das raças, as raças deveriam ganhar mais habilidades que evoluem conforme seu nível, um humano mago de nível 20 será praticamente idêntico a um elfo mago de mesmo nível.

As classes estão maia icônicas, o mago lança magias arcanas diárias, que memoriza de um grimório, o clérigo conjura magias de cura e suporte, o ladino tem ataque furtivo e habilidades variadas, o guerreiro sabe utilizar qualquer arma ou armadura e possui mais habilidades de combate. Nada de grandes mudanças, como aconteceu com a 4E.

Mas algumas coisas ainda se mantém, como por exemplo o mago pose usar mísseis mágicos quantas vezes quiser, e o guerreiro tem uma habilidade que se errar o golpe ainda causa dano.

Além da classe existem outros dois parâmetros: o background e o tema. O background é o que você fazia antes de ser aventureiro, ou o que você costuma fazer além de se aventurar e concede alguns benefícios, como o Knight que concede bônus ao lidar com animais, religião e diplomacia e lhe dá acomodações e alimentação gratuitos para você e seus companheiros nas cidades onde exista um destacamento de cavaleiros ou nobres.

O tema já é parte do que você faz com a sua classe, como por exemplo o clérigo curandeiro que lhe dá bônus em curas e o guardião que protege seus aliados. O background aliado ao tema concedem novas oportunidades de interpretação motivadas pelas escolhas dos personagens.

Os prós e os contras

Este novo conjunto de regras favorece mais o estilo antigo de se jogar D&D, com um grande foco na interpretação e na simplicidade das regras. De modo geral é mais imersivo e favorece os mais criativos. No entanto é menos estratégico e aqueles que não são se sentem muito confortáveis em interpretar ficarão um pouco frustrados.

Um ponto positivo é que as classes estão muito bem equilibradas, com pontos altos e baixos, favorecendo a interação entre os jogadores (e personagens) para completar os pontos em que o outro não é capaz de suprir. Outra vantagem é a aleatoriedade maior, sem números pré definidos para habilidades, cura, pontos de vida, testes de resistência, onde os dados voltam a ter um peso maior.

As raças ainda tem um papel muito pequeno nos personagens, faltando uma atenção maior a este detalhe que é importantíssimo, onde as raças deveriam ser mais diferentes entre si em níveis maiores e menores e raças diferentes.

O playtest está disponível para qualquer pessoa e pode ser baixado neste link: D&D Next, sendo necessário apenas um cadastro rápido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s